O mutirão foi o primeiro de uma agenda continuada de ações desenvolvidas pela Secretaria de Estado de Saúde (SES-GO) através do seu complexo regulador juntamente com o HEELJ para acabar com a fila de espera para procedimentos de pequena e média complexidade. No dia 22 de dezembro, às vésperas do Natal, o HEELJ – Hospital Estadual de Pirenópolis Ernestina Lopes Jaime, realizou cirurgias de pterígio. Trata-se de uma inflamação na membrana ocular que circunda a pupila e que, se não for tratada, pode levar à cegueira.

Os pacientes atendidos foram encaminhados pelo processo de regulação do Sistema Único de Saúde (SUS). Segundo o diretor técnico do Hospital, Alexandre Augusto Santos Barbosa, a Unidade se preparou durante todo o mês de dezembro para a realização de 40 procedimentos. “A equipe foi formada por dois cirurgiões oftalmológicos, dois anestesistas, dois enfermeiros padrão e toda a equipe do Centro Cirúrgico, para podermos prestar esse serviço à população”, relatou Alexandre.

Foram atendidos pacientes de todos os municípios circunvizinhos, dentro e fora da região dos Pirineus, de acordo com a diretora da Unidade, Silvana Graziani. “O intuito é aumentar a demanda, a direção do Hospital está atenta às demandas por cirurgias eletivas, preparamos toda a equipe, desde a higienização ao Centro Cirúrgico. Estamos felizes em contribuir para minimizar as filas de espera”, acrescentou Silvana.

Pacientes satisfeitos com o mutirão

Para o oftalmologista José Eduardo Simarro Rios, este tipo de ação promove um melhor pós-operatório, pois permite que o paciente tenha maior comodidade e não faça grandes deslocamentos. “A ação contou com a união de toda a equipe do Hospital e a meta foi atender o maior número de pessoas, com segurança. Os pacientes foram operados pela manhã e liberados a tarde”, explicou.

José Eduardo comemorou os resultados do primeiro mutirão. “Ficamos felizes em poder atender pacientes de tantos municípios diferentes, que realmente estavam precisando da cirurgia e que já estavam um tempo longo na fila”, ressaltou.

Ansioso pelo procedimento, o oficineiro Alexandre Augusto Pereira de Carvalho, relatou como estava precisando da cirurgia de pterígio, ainda mais por ter um custo alto para ser feito em rede particular. “Para nós, fica muito puxado fazer esse procedimento. Tenho certeza de que foi ótimo para todos que que fizeram como foi para mim”, afirmou Alexandre.

Fabiano Batista de Paulo Lima, funcionário público da cidade de Padre Bernardo, agradeceu ao atendimento de excelência prestado pelo HEELJ. “Fiquei impressionado com o atendimento dos médicos, de como foram atenciosos. Esse tipo de mutirão possibilita a população que realmente não tem condições”, pontuou Fabiano.