Hoje, 7 de abril, em todo o mundo, ocorrem celebrações referenciando o Dia Mundial da Saúde. Essa data foi estabelecida pela Organização Mundial da Saúde (OMS), em 1948, devido à preocupação em manter a saúde das pessoas em todo o globo. De acordo com o conceito estabelecido pela OMS “a saúde é um estado de completo bem-estar físico, mental e social e não só a ausência de uma doença ou enfermidade”.

Nesta data, a cada ano, um tema novo é selecionado para ser o foco de debates e ser cenário para promover ações e campanhas. Em 2021, o tema escolhido foi “Construindo um mundo mais justo e saudável”. Para 2021, a proposta da OMS sugere que os líderes de cada nação, garantam que a equidade na saúde seja o pilar para os resultados de recuperação da covid-19.

É fato que, algumas pessoas vivem suas vidas mais saudáveis e têm melhor acesso aos serviços de saúde do que outras – devido as suas condições sociais: onde nascem, crescem e moram, além de trabalho, idade e raça – porém, a pandemia do novo coronavírus expôs essa situação, onde as pessoas que vivem em condições de vulnerabilidade social têm maior possibilidade de serem prejudicadas com doenças evitáveis e morte prematura – por fim, essa situação prejudica a economia e a sociedade de modo geral.

Sim, essa situação é injusta, contudo é evitável. Quando as entidades públicas passarem a promover condições de vida e de trabalho, propícias a uma saúde boa, quando conseguirem criar sistemas para identificar as populações vulneráveis e elaborar soluções para dirimir essas situações de desigualdade, podemos afirmar que estamos buscando viver em uma sociedade mais justa e saudável.