Com o objetivo de atender a demanda do Hospital Estadual de Jaraguá Dr. Sandino de Amorim (HEJA), a coordenação de enfermagem desenvolveu um curso de imobilização ortopédica com duração de três dias. O treinamento ocorreu de quinta a sábado, nos dias 10, 11 e 12 de janeiro. O objetivo foi capacitar a atuação profissional de forma a aperfeiçoar os Técnicos de Enfermagem da Unidade para atuarem na sala ortopédica, realizando imobilização gessada e não gessada.

A convidada para ministrar o curso, Renata Evangelista da Silva, é técnica em imobilização ortopédica do Hospital de Urgências de Goiânia (HUGO) e procurou abordar conhecimentos, habilidades e valores essenciais. O treinamento foi dividido em teoria e prática. “Vamos complementar a parte teórica à distância. Complementamos também matérias que os alunos presentes já viram no curso de técnicos de enfermagem. Focamos na parte prática, fazendo todos os tipos de imobilização”, pontuou.

São vários os procedimentos que os técnicos de imobilização podem executar, a pedido do ortopedista. Segundo Renata, dentre os principais estão talas gessadas, gessos circulares, férulas metálicas e tração cutânea.

Cronograma das aulas

No primeiro dia, foram feitas as explicações, troca de perguntas e visualização de imagens, acompanhados da apresentação da professora de alguns procedimentos e casos. No segundo dia, os alunos executaram vários tipos de imobilizações, dentre talas, gessos e enfaixamentos. No terceiro e último dia, foi realizado o teste prático com um sorteio de qual imobilização cada aluno deveria executar.

“Observamos o resultado da imobilização e, principalmente, a forma que foi conduzido o procedimento em relação ao paciente; se houve uma análise prévia e se a imobilização foi feita da maneira correta”, reforçou Renata. Outro ponto importante, segundo a especialista, é que o profissional explique ao paciente os cuidados que ele deve tomar e faça o uso dos EPIs (Equipamentos de Proteção Individual. O próximo passo será a realização de mais duas avaliações teóricas.

Para a técnica de enfermagem Dinajara Melo, que trabalha no HEJA há 12 anos, esse tipo de iniciativa além de contribuir para a valorização profissional, possibilita a ampliação do atendimento prestado na Unidade. “Podemos diminuir a locomoção para outras unidades. Este curso está sendo excelente pra que eu e demais colegas sem o curso de técnico de imobilização também possamos contribuir com essa função”, exaltou.