A analista de processos Leticia Rabelo comandou o Treinamento de Automatização do Instituto Brasileiro de Gestão Hospitalar (IBGH). Voltado aos colaboradores da entidade, o objetivo do treinamento foi de apresentar a ferramenta de automatização aprovada pela direção do Instituto. Ela passará a ser utilizada por todos os departamentos da sede e das unidades hospitalares. “A automatização de processos está sendo implantada para dar mais eficiência e celeridade na execução de cada procedimento no Instituto”, disse.

A apresentação e o detalhamento do sistema Sin-Processo foram feitos com a participação do gerente de projetos da empresa Voz Digital, Kelvin Cantarelli, que fez a implementação do Sin-Processo no IBGH. Na oportunidade, foi mostrado o passo a passo de como abrir demandas, acompanhá-los, fazer correções e adicionar documentos, entre outras funcionalidades. “Tudo é acompanhado pelos colaboradores envolvidos, onde quer que estejam, em tempo real”, esclareceu. O uso do sistema começou no Hospital Estadual de Jaraguá (HEJA) e vem sendo implementando nas demais unidades sob gestão do Instituto.

Conforme a analista Letícia Rabelo, todas as áreas sofrerão impactos positivos. O sistema começa a ser utilizado pelo setor de suprimentos e compras. Este é o departamento que dá início à cadeia dos processos de apoio. A automatização visa oferecer aos processos do IBGH um melhor aproveitamento de tempo e transparência, visando, além disso, a diminuição do retrabalho.

Letícia destacou que automatizar processos não é apenas a realização de atividades através de sistemas, mas a garantia de aumento de transparência, a eficiência e diminuição de custos das atividades. “Com a automatização é possível acompanhar em tempo real o desempenho dos processos, identificar as melhorias, aumentar a probabilidade de alcançar os objetivos do Instituto além de consolidar os controles internos”, resumiu.

Desenvolvimento

A partir do uso do Sin-Processo será possível desenvolver novas funcionalidades dentro do próprio programa. “É a partir do uso que veremos quais pontos devem melhorar”, diz Kelvin, que volta suas atenções para facilitar tarefas como requisição de documentos, solicitação de correções e ajuste de informações. “Podemos criar ou excluir campos de customizações e deixar o trabalho cada vez mais ágil”, encerra.