Problemas cardiovasculares são a principal causa de mortes no Brasil e no mundo. Atento a essa realidade e sempre buscando conscientizar a comunidade da importância do comportamento preventivo, o Instituto Brasileiro de Gestão Hospitalar (IBGH) promoveu palestras e integrou uma série de atividades coletivas em celebração ao Dia Mundial do Coração (29 de setembro).

O compartilhamento de informações com pacientes aconteceu na manhã da última quarta-feira, 27, nas salas de espera da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e do Hospital Municipal de Araguaína (HMA).

Segundo a analista do Núcleo de Educação Permanente (NEP), Síntia Barros, a intenção foi de levar à comunidade orientações de prevenção. “Prevenir é melhor do que remediar, principalmente hoje em dia, quando as pessoas têm uma rotina tão estressante”, disse.

A palestrante e enfermeira de Unidade Básica de Saúde, Patrícia Martins, explicou que a melhor forma de evitar problemas cardíacos é mudando de postura. “Precisamos abandonar hábitos poucos saudáveis e nos atentar a uma alimentação mais equilibrada, além de praticar exercícios físicos”, concluiu.

O assunto despertou o interesse do vendedor Josué Sousa. “A partir do momento que as pessoas ficam sabendo o que fazer para evitar ficar doente, mais elas se cuidam. Eu mesmo passo por exames de rotina sempre”, comentou.

 

PCR Day

Ainda dentro das ações do Dia Mundial do Coração, o IBGH foi parceiro do SAMU, ITPAC, IFTO e Prefeitura de Araguaína e cedeu enfermeiros para participar do PCR Day, o Dia D de Reanimação Cardiopulmonar.

A iniciativa reuniu profissionais da Medicina e Enfermagem, e aconteceu simultaneamente em quatro pontos distintos da cidade: Concrenorte, Lojas Nosso Lar, saguão do Shopping Popular e Parque Cimba.

O objetivo foi ensinar para leigos como fazer corretamente o procedimento de massagem cardiopulmonar. As equipes utilizaram bonecos próprios para a prática, simulando situações reais que podem determinar a vida ou morte da vítima.

 

Treinamento que salva vidas

A enfermeira intervencionista do SAMU, Araci Pereira, deu dicas de como reconhecer os sintomas de um ataque cardíaco. “É preciso estar atento e verificar a responsividade da vítima. Se ela não responder o seu chamado e não respirar, ela está tendo uma parada cardiorrespiratória e a instrução que passamos vai ajudar o leigo a realizar de forma correta a massagem cardíaca”, explicou Araci.

O colaborador nas Lojas Nossa Lar, Nicolas Martins, nunca tinha feito a parte prática, por isso se disse satisfeito por ter participado. “Esse tipo de orientação é muito importante, pois existem pessoas que nunca ouviram falar e não sabem como fazer uma massagem dessas. Sabendo como proceder, elas serão capazes de salvar vidas”, destacou o colaborador.

 

Fotos: João Neto